21 maio, 2018

ENTRE ASPAS E DEDINHOS

Garotos, ainda vá, mas adultos passarem a vida a dizer "entre aspas", erguendo ligeiramente os braços para fazer o gesto com os dedinhos, embora cómico, não deixa de ser confrangedor. Imaginemos um português, cuja língua não tem o "do" inglês, sendo tão inexpressivo a falar que fica sem conseguir colocar a voz no tom certo para dar à frase o seu sentido interrogativo ou exclamativo. Dirá então: "Olha, a que horas vais ter ao café, ponto de interrogação". Ou: "Este bacalhau está mesmo delicioso, ponto de exclamação." Pronto, dizer "entre aspas", com os dedinhos a dar a dar, vai dar no mesmo. Raios, custa assim tanto dizer "grosso modo" quando falta a palavra exacta ou mais directa (sem termos de reduzir os outros a uma espécie de autistas que reduzem toda a linguagem a um sentido literal) para o que é preciso transmitir? O modo pode ser grosso mas a língua portuguesa sairia bem mais fina, embora também seja verdade que a fineza já teve melhores dias.