23 maio, 2018

Depois de uns cinquenta anos a ver filmes, tenho dificuldade em eleger um que possa considerar o da minha vida. Porém, ainda hoje, e desde há muitos anos, o meu início de filme preferido continua a ser o de Lágrimas e Suspiros e o meu final preferido continua a ser o de Aconteceu no Oeste. Posso não ter o filme mas tenho as suas perfeitas pontas. Bom seria, tentando chegar a uma perfeição ainda maior, poder juntar aquele começo e aquele final num mesmo filme, dando origem a uma perfeição maior. Mas por muito estimulante que seja o exercício não me parece possível um filme com aquelas duas pontas. Juntar perfeições nem chega a ser condição necessária ou suficiente para outras perfeições. Não é, simplesmente, condição. Direi mesmo não serem raras as vezes em que ao se tentar juntar perfeições, dá-se origem a tremendas e absurdas imperfeições.