11 abril, 2018

ZEITGEIST

Fui cortar o cabelo. No dia seguinte, entro na sala de aula, e vai um  aluno para mim:«Eh, stor, foi à cabeleireira, hein?!». Imagino um homem a ouvir uma frase destas há 30 anos. Hoje, numa terra como Torres Novas, é praticamente uma inevitabilidade.