22 fevereiro, 2018

CHEGA MUITO

É muito interessante a palavra francesa "assez". Tanto pode significar "suficiente" (avoir assez d'argent), como "bastante" (c'est assez chère). Nada como estar fora de uma língua para tomarmos atenção a certas piruetas semânticas, pois quem pensa nessa língua já o faz tão mecanicamente que não se apercebe delas. Quantos portugueses ao dizerem "Bem sei eu!" percebem que não faz qualquer sentido dizê-lo para mostrarem que nada sabem? Provavelmente, também os franceses não se apercebem da incoerente polissemia de "assez", mas para quem está de fora torna-se óbvia a discrepância entre os dois sentidos. Mas isto é de um ponto de vista lógico ou linguístico. Já se formos para um plano psicológico ou moral, logo percebemos que pode bater certo. É que para muitas pessoas, e nos mais variados contextos, só mesmo o bastante pode ser considerado suficiente.