11 janeiro, 2018

ANOMIA SEMÂNTICA

Alguns alunos ficaram surpreendidos depois de lhes ter explicado a noção de altruísmo/altruísta. Já tinham ouvido a palavra mas associavam a qualquer coisa de negativo. Uma rapariga disse mesmo julgar que chamar altruísta a alguém seria chamar estúpido ou algo assim. Entretanto, por curiosidade, perguntei se alguém sabia o que significa estultícia ou considerar alguém estulto. Como esperava, ninguém sabia. Aproveitei então para perguntar se associavam a palavra a algo positivo ou negativo. Todos associaram a algo positivo, tendo arriscado sinónimos como inteligência ou elegância. Há um lado triste em tudo isto: se a língua portuguesa é uma pátria, custa ver assim tanta gente apátrida. Mas não deixa também de haver um lado cómico nesta espécie de anomia semântica. Se a anomia propriamente dita é terrível pelo modo como ameaça a ordem social, esta anomia semântica pode ser vista como versão cómica das distópicas transformações da linguagem que encontramos no "1984". Se, nos antípodas de um livro ou filme (como a excelente adaptação de Michael Radford) cinzento, opressivo, claustrofóbico, dermos com uma realidade onde as pessoas chamam altruístas umas às outras para se ofenderem e chamam estultas umas às outras para se elogiarem, tal será digno da mais hilariante das comédias.