12 novembro, 2017

DOMINGO À TARDE



Já não seria possível lembrar-me do último dia em que não comi romãs, tanto já vai sendo o tempo em que as como diariamente. Mas sementes tão vermelhas como as da romã de hoje ainda estavam para aparecer. Um vermelho sangue-escuro, tão belo como o sereno e aveludado de alguns quadros flamengos e italianos. Estava a retirar as sementes, vendo uma ou outra jorrar aquele sumo vermelho para o fundo da tijela, quando senti um desejo grande de ouvir Bach. Um dia pode ser salvo quando menos se espera.