09 maio, 2017

DESOLADORA DOENÇA

Mimmo Jodice, Rosto de estátua, Erculano

«Que desoladora doença [fascheuse maladie] acreditar que estás tão certo que te convences a ti mesmo que ninguém pode pensar o contrário». Ensaios, Livro I, capítulo 56

Eu gosto de Montaigne. Lembra-me aquele Platão de vigor socrático a provocar sofistas sabichões, a juvenil frescura de uma dúvida metódica não contaminada por piruetas escolásticas que envelheceram Descartes. Não percebo por que razão se associa o cepticismo a crise. Eu associo o cepticismo a um eterno ponto de partida que nunca chega a um ponto de chegada. Isto não é crise. É viver de olhos sempre abertos.