01 abril, 2017

RISOTO DE VERDADES


Hoje é dia de pregar ludicamente mentiras para depois rirmos da credulidade, nossa e dos outros. Uma espécie de Carnaval epistémico que também ninguém leva a mal. No Carnaval, quando se pergunta a alguém se se mascara, uma resposta clássica é dizer que não, pois já é assim que se anda durante o ano. O mesmo se poderia dizer no que toca à relação entre o carnaval epistémico do 1 de Abril e a seriedade do resto do ano. Para quê pregar mentiras quando esta já é habitual? Como acontece com as máscaras fora da época carnavalesca, também as mentiras entre o dia 2 de Abril e 31 de Março são mais subtis e refinadas, muitas delas sendo mesmo pregadas com a voz esganiçada e tonitruante de uma varina para reforçar a competência e seriedade de quem as vende. Daí não devermos estar à espera do 1 de Abril para rir deste engraçado jogo entre a verdade e a mentira, mas aproveitar todos os outros dias para o fazer. Um excelente antídoto para nos protegermos das verdades que por delas não termos sabido rir irão depois fazer chorar.