25 março, 2017

OS PRAZERES E AS NOITES

Charles Corbet | Melancholia, c.1910 [autocromo]

O que significa uma pessoa acordar de manhã e dizer que passou bem a noite? Significa que dormiu bem. Mas parece ser um estranho passar bem. Passar bem implica um prazer e sentir prazer implica ter consciência dele, logo, uma pessoa não pode ter prazer em dormir, pois para ter prazer em dormir deveria ter a consciência de estar a dormir, o que é impossível. Acontece com o dormir o mesmo que dizia Epicuro a respeito da morte: se dormimos não estamos conscientes, se estamos conscientes, não dormimos.

A ideia parece ser então dizer que se passou bem a noite, não por ter havido prazer em dormir mas por se ter estado o mais inconsciente possível e durante o mais tempo possível. Ora, isto dá uma imensa liberdade a quem deseja dormir bem, pois o objectivo supremo passa por se libertar completamente dos conteúdos do mundo. O seu bem-estar, o seu "passar bem" não está dependente do mundo e do que este tem para oferecer, mas antes do que o mundo deixa de lhe oferecer enquanto mergulha na escuridão da sua inconsciência. Dormir bem é, por isso, uma expressão de liberdade. A pessoa passou bem a noite porque a atravessou livremente, regressando de um paraíso inconsciente e perfeito na sua total ausência de lucidez. A vida ideal seria mesmo estar a dormir e acordado ao mesmo tempo, ter um olho sorvendo o mundo enquanto o outro tranquilamente o apaga.