07 julho, 2015

FILHOS E FILHOTES

August Sander | Viúva com os seus Filhos, c. 1921

Uma das coisas que me fazem alguma espécie é ouvir um pai a referir-se ao filho como "filhote" ou "filhota". O que levará um pai a dizer "o meu filhote" em vez de dizer "o meu filho"? Assumir um filho de um modo explícito implica assumir ser pai ou mãe de um modo explícito. Ora ser pai de um filho não é o mesmo que ser pai de um filhote. Um filhote não é bem um filho. É um eufemismo de filho. Ser pai de um filhote é sentir algum pudor em assumir que se tem um filho, pois ter um filho implica passar a ser pai integralmente. Um pai de um filho é mesmo um pai. O pai de um filhote é uma espécie de pai, um paizote ou uma mãezota.

Isto é bem capaz de ser uma mania parva dos pais que andam pelos 30 ou 40 anos, que já cresceram a comer Chocapic ou Estrelitas ao pequeno-almoço, a ter nojo de legumes e vegetais e que viam os Power Rangers a fazer os TPC. São jovens que nunca acreditaram muito na possibilidade de crescerem. Mas cresceram. Cresceram e tiveram filhos. Ter filhotes em vez de filhos é como ter um cão urbano, um gato ou um hamster, só que indo ao pediatra em vez de ir ao veterinário e a quem seria preciso ensinar coisas sérias, coisas assim morais, regras, valores e assim, em vez de servirem para combater a solidão quando os amigos não estão no Facebook ou porque ter um filho é o culminar de quem está numa relação, ainda que apenas começada há meses. Pronto, assim uma coisa engraçada e fofinha sem aquele peso grave e austero de outros tempos em que ser pai ou mãe representava quase figuras bíblicas como Abraão ou Sara, uma coisa assim com densidade ontológica. 

Ser pai deve ser uma coisa séria e de gente crescida, que implica responsabilidade, maturidade, envelhecimento. Ser pai a valer é olhar-se ao espelho e ver um pai de filhos. Já ser pai de um filhote é olhar para si mesmo e continuar a ver o filho de sempre do seu pai que, entretanto, se tornou avô. Anos mais tarde, ao contrário dos seus pais,  já não serão avós que irão tomar contar de netos. Irá ser a net a continuar a tomar conta de todos eles.