21 julho, 2015

DO MEU CÉU CAIU UMA ESTRELA


Coisas do ócio, dei-me ao trabalho de responder a um inquérito cuja finalidade era saber com que estrela de cinema me iria identificar. Eu bem queria que me calhasse o Burt Lancaster refastelado na areia da praia, o Javier Bardem com barba de três dias, o Marlon Brando a vaguear solitário, de gabardina, por uma Paris cinzenta ao som melancólico do Gato Barbieri, o Jonathan Rhys Meyers a despir a camisa encharcada no Matchpoint, o William Hurt a escorrer em suor nas noites escaldantes da Florida, o Clint Eastwood cheio de pó do deserto do Arizona e a morder o charuto no canto da boca, sei lá, o Vincent Gallo na versão heroin chic, feio e a cheirar a cavalo. 
Hèlas, calhou-me o sonso e bonzinho do James Stewart. Mas devo tê-lo merecido. É o que faz ter rejeitado aquele item do inquérito que falava em fazer amor selvagem com uma desconhecida.