18 março, 2015

FÓRMULA UM

Francesca Woodman | SemTítulo

Houve tempos em que acreditei na fórmula de Nietzsche para a felicidade: «um sim, um não, uma linha recta, uma finalidade» [Crepúsculo dos Ídolos, Máximas e Dardos, §44]. 

O problema é que, muitas vezes, onde julgamos estar um sim vamos afinal encontrar um não, onde vemos um não esconde-se muitas vezes um sim, entre dois pontos, as curvas sinuosas podem revelar-se bem mais interessantes e eficazes do que uma linha recta e, por último, a ideia de finalidade aplica-se melhor a um artesão que constrói mentalmente uma cadeira que vai depois fabricar, do que à cabeça de alguém que deseja ser feliz.

Daí talvez não se precisar de aprender uma fórmula, mas de aprender a viver sem fórmulas. Se isso for considerado desde logo uma fórmula, muito bem. Mas que seja então a única.