19 março, 2015

DESMAMADOS

Willy Ronis, Paris, 1966

Pronto, eu leio isto e acabo por me convencer de que há mesmo uma explicação para tudo e que a verdade vem sempre ao de cima. Sei que não mamei no peito materno. Também sei o que sou. Faltava-me apenas a relação causal finalmente descoberta.

Claro que de um ponto de vista lógico, dizer que um bebé amamentado será um adulto bem sucedido não implica concluir que não se é adulto bem sucedido por não se ter bebido leite materno. Se o fizermos, incorremos na chamada falácia da negação do antecedente. Mas entre as frias e implacáveis verdades da objectividade racional e a simpática irracionalidade dos bodes expiatórios que ajudam a sacudir a água do capote, alguém humano, demasiado humano, como é o meu caso, não fica com muito por onde escolher, sentindo-me, não um descamisado, pleno de esperança revolucionária, mas um desmamado, preso nas malhas de um triste destino.