20 janeiro, 2015

OS DEVANEIOS DE UM LEITOR SOLITÁRIO


Harry Callahan| Série Mulheres de Chicago, anos 50

Ontem, na Bertrand do Vasco Gama, estava sentado a ler os Diários de Kafka. Entra uma mulher que vai circulando por toda a livraria com o telemóvel no ouvido, mais a gritar do que a falar, contando que tinha deixado a roupa a lavar, que teria de voltar a casa para a estender, onde iria almoçar, mais uma receita não sei de quê, e da mãe que estava doente e outras minudências da vida quotidiana que me esforcei por não ouvir mas desesperadamente em vão.
Eu ia tentando ler, remando estoicamente contra a cacofónica maré, até que finalmente desisti. Foi quando cheguei a uma parte em que ele diz:

O que tenho em comum com os judeus? Quase nada tenho em comum comigo e deveria ficar muito sossegado a um canto, contente por poder respirar.

Troquei judeus por género humano, fechei o livro e fui embora.