08 junho, 2014

TABACARIA

Constantine Manos | URSS,1965

Uma turma da qual fui professor de filosofia durante dois anos, ofereceu-me, anteontem, naquela que foi a nossa última aula, uma generosa barra de Toblerone. Um pedaço de mundo ao qual me dediquei voluptuosamente, horas depois, enquanto pela janela espreitava a chuva, melancolicamente pintada com o mais sépia crepúsculo que me lembro de ter visto. Se calhar a metafísica é mesmo uma consequência de estar mal disposto. Com aquele chocolate senti-me apaziguado e convertido pela mais pura verdade do mundo. Foi a mais simbólica última aula de filosofia que dei a uma turma e àqueles alunos o devo.