15 dezembro, 2013

THE SOUND OF SILENCE

Yale Joel | Manequim de Jackie Kennedy, NY, 1961

A mulher ideal? Um ovo de Colombo feito gente: corpo excepcional e beleza. O que basta para avaliar as grandes qualidades de uma namorada de há 4 (quatro) anos (conferir aqui). Eu leio isto e imagino, com rústico e arcádico devaneio, como deve ser bom o milagre da plena simplicidade ou da simples plenitude. Quis o acaso que eu lesse esta notícia no preciso momento em que no livro que ando a ler, curiosamente intitulado A Mulher Certa, uma mulher fala ao homem a quem está ligada naquele momento, da sua relação anterior, um homem de inteligência superior e elevada cultura. E fala por oposição ao actual, um baterista de jazz, ao qual diz: «Tu ao menos calas-te e tocas bateria. E, se não falas, tenho a certeza de que não calas nada. E isso é maravilhoso».
Tal como CR7, talvez eu venha também um dia a descobrir que a mulher ideal é uma boneca insuflável.