16 dezembro, 2013

SIM, SENHORA MINISTRA


Frances Benjamin Johnston|Auto-Retrato como Nova Mulher, 1896 

Muita gente ficou surpreendida quando a Espanha teve uma ministra da Defesa, ainda por cima grávida. Nós nunca tivemos uma ministra da Defesa mas a nossa Maria Carrilho, especializada em assuntos militares, bem poderia ter vestido a farda. Calhou agora a vez à  Alemanha, esse país que adora brincar às guerras, de ter também a sua ministra da Defesa.
Ao contrário de tanta gente, não me surpreende ver uma mulher a dirigir o mais marcial, musculado e agressivo de todos os ministérios. Convém lembrar que uma ministra da defesa não anda a arrastar-se pelo chão, de cara mascarada, de camuflado vestida e de metralhadora na mão a descarregar a testosterona que não lhe corre nas veias. Isso é para rapazes que podem crescer em altura, ter pelos na cara e voz grossa mas que continuam a gostar de brincar aos cowboys. Como em tempos aqui lembrei, as mulheres têm a sua própria idiossincrasia militar. Fazem o mesmo, só que muito melhor: mais implacável, subtil e cirurgicamente, dentro de um elegante vestido e em cima de uns saltos altos.