05 julho, 2013

ÍCARO REVISITADO

Toni Frissel

O peixe-voador é o mais infeliz de todos os peixes. Os peixes nascem, vivem e morrem debaixo de água. É essa a sua natureza e vivem de acordo com ela. A sardinha é feliz na água como o falcão é feliz ao voar sobre a terra e os répteis a rastejar sobre as areias quentes do deserto.
Porém, há um peixe que se chama voador porque lhe foram dadas asas para voar, podendo com elas vir à superfície e ver outro mundo, cheio de luz e glória. Mas embora tenha a ilusão de viver nesse mundo, não deixa de ser um peixe e, mal começa a voar, de novo regressa à água a que pertencem as suas guelras.
Enquanto os outros peixes vivem tranquilamente debaixo de água, vivendo a vida que podem e sabem viver, o destino do peixe-voador está irremediavelmente preso às suas asas. Por isso o peixe-voador é o que menos vive. Vive na água mas com os olhos presos a uma superfície cheia de luz e de glória à qual jamais pode pertencer, refém e vítima do seu próprio desejo.
Os peixes-voadores só podem ser mesmo anjos caídos, condenados, tal como Sísifo, Tântalo ou Prometeu, pela ira de Deus.