24 abril, 2013

O MILAGRE

Lyonel Feininger

De vez em quando oiço a expressão "É um bocado impossível". Explico então que o impossível não tem grau. Não há coisas mais impossíveis e coisas menos impossíveis. O possível, sim, tem graus. A possibilidade de amanhã estar um dia de Sol em Lisboa é maior do que a possibilidade de ocorrer um terramoto, ainda que possa ocorrer mesmo um terramoto e até estar um dia chuvoso e cinzento. Porém, o impossível é simplesmente impossível, excepto para os queques revolucionários de 68. Estarmos em dois sítios ao mesmo tempo é tão simplesmente impossível como uma pessoa que se atirou de uma ponte decidir parar a meio da queda.
Daí eu levantar as orelhas ao ler esta notícia. O que significa um "milagre quase impossível"? Nada, pois  a impossibilidade de um milagre não é relativa mas absoluta. O milagre é o que é impossível por razões naturais embora possível por intervenção sobrenatural. Ora, não é isso que se passa com o próximo jogo entre o Barcelona e o Bayern. Não foi um milagre os alemães terem ganho 4-0. Foi uma vitória anormal mas tão anormal quanto possível. E se o Barcelona vier a ganhar 5-0 na segunda mão, tratar-se-á de um resultado tão anormal como o anterior mas também tão possível quanto esse. Dai não se tratar de um quase milagre mas apenas de uma coisa possível, explicada através de causas naturais inerentes ao próprio jogo.
Milagre, sim, e de uma dimensão verdadeiramente bíblica, seria Portugal vir um dia a ser bem governado; seria Portugal ter políticos conscientes e responsáveis cujas acções tivessem como objectivo servir o país e não interesses pessoais, partidários, económicos e financeiros; seria Portugal poder vir a ser um país mais justo; seria a corrupção em Portugal tornar-se residual e uma vergonha no caso de ser descoberta em vez de motivo de orgulho e inveja.
E milagre pois não será de modo algum através de causas naturais que tal pode vir um dia a acontecer. Só mesmo por intervenção sobrenatural. Mas se eu já sou céptico em relação ao natural o que não hei-de ser então em relação ao sobrenatural? Até fico com vontade de falar como os adolescentes e dizer que se trata de qualquer coisa de muito impossível. Bem podemos esperar sentados.