16 outubro, 2012

DO CÉU CAIU UMA ESTRELA

                                                     Jean Eustache | La Maman et la Putain [fotograma]

Eu não sei por que se fala tanto de educação sexual nas escolas ou é tão rara uma capa de revista que não anuncie artigos sobre sexo, ou a ciência se dedica a descobrir mais uma qualquer verdade, obviamente muito científica, a respeito desse sempre inesgotável e fascinante mundo do sexo. O sexo, sendo uma coisa tão tangível e tão relativa às partes mais baixas da nossa antropológica identidade, tornou-se tão enigmático e desconcertante como o Triângulo das Bermudas, as estátuas da Ilha da Páscoa ou os cérebros de António Borges, Passos Coelho e Vítor Gaspar. 
Mas, por que raio, complicar o que é simples? Como aqui se vê, no fundo, no fundo, o bom sexo está chapado na cristalina luminosidade das estrelas. E, pelos vistos, é precisamente por melhor se compreenderem as estrelas que, depois, também se explica por que é que os bons e esforçados amantes mais facilmente ficam a vê-las.