10 julho, 2012

PAZMACEIRA


Gosto de Monet, mas é sempre com um certo sentimento de tédio e de indiferença que olho para a sua série de nenúfares, aqueles monótonos e impassíveis ornamentos botânicos, repousando em águas paradas onde nada acontece. Enfim, uma enorme pasmaceira. 
Todavia, se pensar que muitos desses nenúfares foram pintados enquanto decorria nos verdes campos da Europa, entretanto transformados num inferno, uma das mais demenciais e tremendas carnificinas humanas de todos os tempos, serei obrigado a repensar o verdadeiro valor e significado desses trabalhos. Se pensar num inocente com as tripas de fora num lamaçal ou nos pulmões queimados de milhares de jovens numa trincheira de Verdun, um colorido nenúfar adormecido sobre uma água tranquila, surge aos meus olhos como um paraíso perdido que urge encontrar.