20 fevereiro, 2012

CLAUSTROFOBIA

                                                Henri Cartier-Bresson | Derrière la Gare Saint Lazare

Li, algures, que, por causa da crise, as pessoas irão passar a viajar menos. Até aqui tudo normal. O que mais me inquietou é o facto de muitas dessas pessoas entrarem num processo de angústia e ansiedade por deixarem de viajar. Eis uma boa oportunidade para recordar Pascal: "Tous le malheur des hommes vient d'une seule chose, qui est de ne savoir pas demeurer en repos dans une chambre". Dá vontade de perguntar sobre o que impele uma pessoa para o desassossego. E do que tem ela medo? E o que perde por não viajar?
Eu também gosto de dar as minhas voltitas para arejar um pouco. Lá nisso as pessoas são como as casas cujas janelas se devem de vez em quando abrir para arejar e deixar entrar um pouco o sol. Mas abrir demasiado as janelas também pode ser um sintoma de claustrofobia. Viajar para apanhar ar é bom. Viajar para não morrer asfixiado é pura terapia.