22 janeiro, 2012

BOOK-OFF

                                                                  Eugeny Kozhevnikov

Hoje de manhã comprei dois livros na Book-it. Quando chego ao balcão para os pagar, a menina, com ar experiente e pose de automática rotina, pergunta-me se são para oferta. Uma andorinha esvoaçando não basta para explicar a primavera e é verdade que a sociologia precisa tanto de estatística como a inteligência de córtex cerebral. Mas não consigo deixar de pensar que, em Portugal, os livros serão mais coisa de oferecer do que de ler.