14 dezembro, 2011

GONÇALO M. TAVARES - UMA VIAGEM À ÍNDIA (IX)



Por que razão não é a vida apenas uma ordem que respira,
onde para cada momento existe uma única acção certa?
A vida individual como algo de didáctico e estúpido
onde se pedisse apenas uma repetição dos dias
que outros já tivessem praticado em perfeita segurança.