05 novembro, 2011

TEUS OLHOS CASTANHOS


                                                                       Jack Delano

Quando vi o título desta notícia, ainda por cima na secção de ciência de um jornal, pensei tratar-se de qualquer coisa relacionada com a teoria da evolução, filogénese e isso. Quando finalmente entendi o seu sentido só me apeteceu esfregar os meus olhos castanhos para confirmar que tinha mesmo lido o que acabara de ler.
Há poucas coisas na vida que me provocam tanta repugnância como o racismo. O racismo é a estupidez no seu estado mais puro. Agora, apesar de entender o que é o racismo ou até conseguir entrar na cabeça de uma pessoa racista, nunca tinha sentido na pele o que sentirão aqueles que um dia acordam de manhã e descobrem que são inferiores por terem uma cor de pele considerada inferior ou "socialmente desagradável".
Eu tenho olhos castanhos. Nunca, jamais, em tempo algum, pensei nos meus olhos como sendo motivo de desconforto ou  uma espécie de mácula original. Admito que os meus olhos já viram melhor do que vêem hoje. Por volta dos 40 anos passei a usar óculos para ler e há pouco tempo passei também a usá-los para ver melhor ao longe. Pronto. Mas nunca pensei na cor dos meus olhos como cor de segunda, tal como é sugerido descaradamente pelo título da notícia e depois confirmado pela própria notícia.
Acreditem que não digo isto por ressentimento  pessoal. Nunca na vida me senti prejudicado, marginalizado, desprezado, preterido por causa da cor dos meus olhos ou do que quer que fosse. Falo de princípios, de valores, de atitudes perante a vida e perante as outras pessoas absolutamente incompatíveis não apenas com qualquer forma de racismo mas, indo mais longe, com qualquer forma de eugenia, nomeadamente eugenia física.
Não há homem que goste tanto de ver uma mulher bonita como eu. Adoro a beleza seja qual for a sua expressão: uma paisagem, uma pintura, um objecto, um filme de Tarkovski, certos livros. E, claro, uma mulher bonita também, sobretudo se estiver num filme de Tarkovski. Não sou, pois, insensível à beleza. Aliás, a humanidade nunca foi insensível à beleza  e para perceber isso basta ler alguns dos textos mais antigos conservados até hoje, nomeadamente o belíssimo Cântico dos Cânticos.
Agora, não consigo entender a moderna histeria face à beleza e as imposições sociais face à beleza. Eu entendo que um comerciante prefira um(a) empregado)a) bonito (a) e fisicamente atraente para ter atrás do balcão. É normal, é como ter a montra bonita e a loja com boa apresentação.
Agora não entendo o que pode levar mulheres e homens com idade para serem avós e avôs, pior do que a ficarem babados perante a presença da beleza masculina e feminina, a exibirem publicamente a sua baba. Dir-se-á que se trata de um inócuo divertissement, de viver a criança ou o adolescente que há dentro de cada um de nós, de uma doce e saudável regressão para descomprimir depois de um dia de trabalho. Seja. Mas não deixa de ser um sintoma eugénico numa época em que se valoriza excessivamente a juventude e a beleza e desvaloriza excessivamente a velhice. Numa época em que se valoriza excessivamente o glamour (verdadeiro ou postiço), as pequenas vaidades, o culto do indivíduo, a irracionalidade e a estupidez como valores assumidos socialmente.
O modo como esta notícia está escrita é apenas mais um sintoma deste regresso civilizacional. De uma época na qual esta possível futura rejeição dos olhos castanhos não consegue disfarçar uma estupidez bem negra.

22 comentários:

João Delicado sj disse...

Confesso que me fiquei pelo título da notícia - que foi suficiente para me horrorizar.

E lembrei-me de um pequeno episódio de uma passagem por Cracóvia: estava num almoço com jesuítas de toda a Europa e alguns americanos. À minha frente, um jovem do Ohio, a pensar em juntar-se à Companhia de Jesus. Ele olha-me com atenção e pergunta: "de onde és?". "De Portugal" - digo eu. "Ah!" - exclama o rapaz: "vê-se pela cor dos teus olhos!". É engraçado que, diante de um rapaz de olhos azuis, poderia receber aquilo como um preconceito pejorativo qualquer... Mas senti que me estava a dizer: "tens uma cor de olhos particular que te liga a um povo e a uma história particulares; e isso torna-te especial".

Fez-me perceber melhor em que modo pode Deus olhar para cada um e dizer: "tu, para Mim, és único"!

ABRAÇO!

João Delicado sj disse...

PS - Ah! E sobre Tarkovski tenho um texto guardado na gaveta que há semanas me pede para ser escrito... :)

O Superior da minha comunidade é um super-fã de Tarkovski e já nos fez ver "O Espelho" e o "Stalker". Qualquer deles, exigente, mas muito bom.
E falta-me preencher a lacuna de ler o seu mestre inspirador: Dostoievski.

Anónimo disse...

resisto estoicamente, reconheço, a não lhe cantarolar a música do Francisco José, mas tendo acabado de ler que vai haver no CCB um congresso ,ou algo assim, sobre Tarkovski, e tendo eu visto há mts anos os seus filmes, pergunto-me se neles haveria mulheres... Só me lembro de homens e todos lancinantemente desesperados.Debvo estar enganada, não? E.

Rita Tormenta disse...

Assusta-me sobretudo a vontade de homogeneização que espreita por estes olhos.
http://youtu.be/d3G6lxMV6-w

josé manuel chorão disse...

Se há coisa mais abundante que os olhos castanhos (tambem tenho), nesta sociedade, é a estupidez. Por que carga de água ter olhos azuis haveria de ser melhor do que ter olhos castanhos?
A mim não me preocupa nem um bocadinho o meu aspecto físico nem o dos outros. Mas preocupa-me bastante o aspecto intelectual de quem tanto se preocupa com o aspecto físico.
Claro que outra coisa não seria de esperar de um palerma esteticista americano, cujo ganha-pão é mudar o aspecto de quem não tem mais nada de sério em que pensar.
Triste sociedade esta...talvez por isso prefiro os cães, nunca os vi preocupados com parvoíces destas.

José Ricardo Costa disse...

Sim, João, Dostoievski é incontornável. Permita-me a sugestão de começar pelos Irmãos Karamazov.
Entretanto, já percebi que não vai ser daqueles que irá mudar de olhos :). Já agora, também não estou a ver Jesus Cristo de olhos azuis e desconfio que não seria coisa que o preocupasse muito ;)Um abraço.

Sim, E, está completamente enganada. Ainda onte revi o "Sacrifício" onde poderá ver 4 (quatro) actrizes. Algo desesperadas, sim, mas não Donas de Casa Desesperadas. Já agora, só por curiosidade e para ver que não é apenas no Sacrifício: http://www.youtube.com/watch?v=7ePQ5VY87Sw&feature=related

Ou aqui: http://www.youtube.com/watch?v=UuZoRFxnsxM&feature=related

Ou aqui:http://www.youtube.com/watch?v=sJBmCeECdLU&feature=related [Sacrifícico]

Ou aqui: http://www.youtube.com/watch?v=DFiwTT6c3cc

Ou aqui (mas na condição de desligar o som): http://www.youtube.com/watch?v=aUcD5T22f7I

Rita, esta agora não entendi bem. Homogeneização, só ser for nos cortes de cabelo dos músicos...

Zé, felizmente nem todos os seres humanos são assim. O Victor Hugo, que disse que quanto mais conhecia os homens mais gostava dos cães, deveria ter dito que quanto mais conhecia alguns homens mais gostava de alguns cães. Em termos aristotélicos, a coisa não se joga no âmbito dos universais mas dos particulares.

jmv disse...

"Não há homem que goste tanto de ver uma mulher bonita como eu."
Francamente...e eu sou o quê?
Leva longe o seu entusiasmo!!!

estou a gozar...

um abraço

José Ricardo Costa disse...

Ó JMV, fique descansado, até porque a frase nem é para ser levada a sério. Trata-se apenas de uma boutade literária.

Ana Paula Sena disse...

Bem assinalado. Sei qual a notícia. Fiquei pelo título e sinopse, de tal modo me desagradou.

Ah, também tenho olhos castanhos :)

José Ricardo Costa disse...

Pois, Ana Paula, por vezes deve-se também ver o que desagrada para tomarmos consciência do que se passa à nossa volta.

Anónimo disse...

Toda a razão do mundo.... mas deve haver uma razão para eu não me lembrar de mulheres nos filmes dele.Obg pelas dicas. Consultei todas e reparei que de alguns não me lembro, nem sei sequer se os vi; outros vi várias vezes e foram os que mais me marcaram.
Deixo-lhe isto que já conhecerá.
http://www.youtube.com/watch?v=rWEoqFHJUGY&feature=related
Tenho de voltar a rever filmes que vi há mais de 20 anos e a eles não voltei. Falha minha. E.

Anónimo disse...

Epá a sério? Sinceramente. Penso que fui o único a compreender a notícia... O que está em causa não é mudar a cor dos olhos de castanho para azul, tendo vocês todos feito uma enorme confusão com extermínio e genocídio para uma raça Ariana (tipo hitler?). Estão enganados. O objectivo é dizer que a partir de certo momento as pessoas estão livres de escolher a cor dos olhos, assim como estão de escolher a cor do cabelo, através do cabeleireiro... E, a partir do mesmo pressuposto, todas as pessoas que pintam o cabelo, pintariam de louro porque é menos vulgar que o castanho. Tudo errado. Há gostos para tudo. E não podemos esquecer que há muitas zonas em que a maioria (tipo 90%) tem olhos azuis, tipo suécia, ucrânia, Estado da Flórida e da Califórnia, etc. Pelo que esses iriam (pela vossa óptica) mudar para castanho, porque nesses países o diferente, logo melhor, é ter castanho. Se vocês se imaginarem na Suécia rodeados de loiros(as) com olhos azuis, escolheriam olhos castanhos e pintariam o cabelo de preto ou castanho! É exactamente igual. O querer ter olhos diferentes é aceitável, tal como é com o cabelo, mas isso não é racismo nem descriminação nenhuma. Vocês interpretaram todos mal a notícia porque têm todos os olhos castanhos e interpretaram à letra a notícia (muitos só leram o titulo...). Eu tenho os olhos verdes (ufa safei-me do confilto azul vs castanho) e pude analisar a notícia a partir duma perspectiva exterior. Se pensarem como deve ser, hão-de chegar a conslusões semelhantes. Qualquer das maneiras, a cor dos olhos tal como a cor do cabelo ou a altura da pessoa não dizem absolutamente nada sobre o interior ou sobre o que realmente interessa numa pessoa: a inteligência a cultura e o intelecto. Abraços para todas as vítimas da descriminicação do castanho (joking) Bruno :)

José Ricardo Costa disse...

Pois, E, Tarkovski, como tantos outros, será sempre um daqueles a rever. O revisionismo não é necessariamente mau!

Bruno, claro que não vi propriamente um esboço de genocídio nesta notícia. De qualquer modo, será sempre preocupante qualquer tipo de obsessão histérica (salvo a redundância, qualquer obsessão é intrinsecamente histérica) relativamente à beleza e ao corpo. A notícia parte do pressuposto que ter olhos castanhos será uma desagradável banalidade, uma maçada genética. Passar a ter olhos azuis ou verdes significa, neste caso, negar esse património inferior e alcançar um nível superior. Acontece que a partir do momento em que toda a gente pode ter olhos azuis ou verdes, ter olhos azuis ou verdes deixa de ter piada. É o mesmo que acontece com as praias e os nomes dos ricos quando são depois imitados pelos pobres.

Anónimo disse...

Mas Zé repare que eu mesmo sou contra as pessoas não aceitarem o seu corpo e pintarem o cabelo (ou pior mudarem a cor dos olhos). Mas aceito. E nunca na vida uma pessoa com olhos azuis é superior a uma que tenha castanhos. Quem quer que diga isso é um ignorante autêntico. Pode ter melhor aparência, é só. Mas o cliché que ter olhos azuis ou cabelos loiros é que beleza está ultrapassado. E AS RUIVAS PAH? :D Mas sabes, é que isso de terem todos os olhos azuis ou verdes nunca ia acontecer, porque depois, uns anos mais tarde, já era a revolução do castanho. O Homem é um ser insatisfeito por Natureza, por isso, se numa 1ª parte mudariam todos para azul, numa 2ª (como o azul era já vulgar) mudariam para castanho. Mas isso é uma estupidez autêntica. Continuo a afirmar que importante é o intelecto e que isso nada tem que ver com o aspecto. Bruno

José Ricardo Costa disse...

Uma coisa é certa, Bruno: a estupidez, ao contrário da inteligência, não tem limites. :)

Anónimo disse...

Meu estimado Zé, a inteligência TAL COMO A ESTUPIDEZ não tem limites. Não duvide. Não há nada que o Homem não possa fazer. Nunca se pensou que pudessemos voar, e no entanto há quase tantos aviões como pessoas (hipérbole ao quadrado). Repare que a evolução da Ciência é de tal forma importante que qualquer dia inventa-se uma maneira de voltar ao passado. Nada consegue parar a imaginacação e craitivdade do Homem. E então se estiverem ligadas à inteligência, UI!!! Mas isso, são outras discussões :D Bruno

José Ricardo Costa disse...

Como dizia o outro: nem tudo o que pode ser feito deve ser feito.

Anónimo disse...

Completamente de acordo, mas isso já tem a ver com as imposições ético-morais à Ciência e ao seu avanço descontrolado. Nunca mais daqui saiamos :D Bruno

jrd disse...

Eu não estou disponível para alterar a cor dos meus olhos.
Fim à cor castanha, só nas "camisas" de má memória.

José Ricardo Costa disse...

jrd, cá para mim deve ter olhos azuis :)))

jrd disse...

Não são azuis, são mesmo castanhos.
Nem tudo o que parece é...
:))

José Ricardo Costa disse...

Olhe, lamento muito por si... :)