12 novembro, 2011

ESTÁDIO DAS OPERAÇÕES FORMAIS


                                                    Claude Lelouch | Un Homme et une Femme [fotograma]

Quando eu tinha vinte anos e passava horas a ler Santo Agostinho, bem tentava entender a complexidade ontológica da Trindade mas não conseguia. Ou melhor, entendia as figuras do Pai e do Filho, mas o inefável Espírito Santo ficava sempre para lá da minha limitada compreensão. Engraçado como, com a idade, tudo mudou. Hoje, dos três, só consigo mesmo entender o Espírito Santo, relegando o Pai e o Filho para sincréticos e pueris exercícios pré-operatórios. Entendo-o tão bem, que tanto consigo imaginá-lo a pairar suavemente sobre a tépida, calma e dourada água de um rio que flui primaveril, como bem submerso nas densas e salgadas águas do Mar Morto.