16 outubro, 2011

O NOME DA ESCOLA


                                                        Zurabarán | Nossa Senhora da Misercórdia

Quem pensa que os nomes podem ter algum significado devia olhar para a lista das 10 melhores e piores escolas básicas a nível nacional.
Nós pensamos numa Escola Sophia de Mello Breyner e pensamos logo numa escola de qualidade. Porém, aparece ao lado da Escola da Baixa da Banheira como umas das 10 piores escolas a nível nacional. A "escola da Sophia", afinal, não é uma escola de meninos poetas e artistas mas uma escola de gandulos e jagunços na parte mais  baixa da banheira social.
Outra das 10 piores escolas é a Escola Secundária de D. Pedro V. Meu deus, D. Pedro V foi um rei inteligente, culto, cosmopolita, de vistas largas. Só um rei assim conseguiria a proeza de pôr Alexandre Herculano a chorar no seu funeral. Como pode aparecer uma escola D. Pedro V ao lado da escola do Monte da Caparica, de Sacavém e de Alcabideche? Meu deus, como é possível juntar D. Pedro V a Alcabideche? D. Pedro V lembra Palácio da Pena, Monserrate, Paris, Londres, Roma, biblioteca do Convento de Mafra. Agora, Alcabideche? Repito, Alcabideche? Já agora, porque não a Buraca? Ou as Galinheiras? E é possível imaginar uma escola Sophia de Mello Breyner ou D. Pedro V cheia de graffiti e uma horda de selvagens analfabetos a ouvirem hip-hop durante as aulas de português?
Vejamos agora algumas das 10 melhores escolas básicas a nível nacional: Externato Nossa Senhora da Paz; Externato Escravas do Sagrado Coração de Jesus; Colégio Nossa Senhora do Rosário; Colégio Nossa Senhora de Lourdes.
Minha Nossa Senhora! Eu sempre associei a religião a obscurantismo, irracionalidade, ignorância, dogmatismo. Sempre associei a Nossa Senhora a aleijadinhos a arrastarem-se pelo chão do santuário de Fátima, crianças ranhosas e malcheirosas ao colo de mães com uma vela numa mão e a revista Maria na outra e coisas assim do género.
Estas escolas são, por isso, um murro na minha consciência. Nossa Senhora aparece aqui associada a inteligência, cultura, crianças bonitas, lavadas e bem educadas que sabem dizer o Mostrengo de cor com um aparelho nos dentes, que tocam piano e violino, que lêem histórias infantis em inglês e querem ir para Medicina quando forem grandes.
Os nomes, portanto, não valem mesmo nada. São entidades vazias, obsoletas abstracções, mistificações verbais. Depois disto, sinto-me um homem renovado. Haverá para aí alguma Nossa Senhora que me queira adoptar?

11 comentários:

josé manuel chorão disse...

Tens de ver para alem dos nomes. No caso desses externatos bem classificados, o nome da Nossa Senhora aparece, de facto, ligado a muitos milhares de euros. Que lhes permitem ter turmas com máximo de 8 alunos (seleccionados, o que tu não podes fazer), contratar bons professores e por aí fora.
É bom, para quem pode pagar estes luxos.
Aos ranhosos da classe baixa, fica pelo menos o nome da Sophia lá à porta da escola, mesmo que eles não saibam quem foi.
Os nomes, bem vistas as coisas, não querem dizer absolutamente nada. Basta lembrarmo-nos de um suíno, animal sujo, abrutalhado e ignorante, que recentemente alcançou alguma fama e ostentava o nome de um famoso e digno filósofo grego da Antiguidade.

João Delicado sj disse...

A Senhora do Amparo! :)))

jrd disse...

Escolas como a as de Alcabideche, Baixa da Banheira ou Galinheiras não seriam certamnente a escola, 'escolha', de Sophia.
Em breve vamos regressar ao tempo dos filhos dos homens que,ainda que por razões diferentes, nunca foram meninos.

José Ricardo Costa disse...

Tens toda a razão. Mas olha que o nome desse que ostentava o nome anda, agora, por Paris, em busca da Sophia. Coitado, nunca a irá encontrar.

João, meu caro, bolas, ainda bem que aparece. Tendo o meu caro relações privilegiadas com o mundo lá de cima bem podia meter uma cunha à Senhora do Amparo. ;)

Pois é, jrd, Sophia e Justiça, neste país, são cada vez mais nomes.

Kamaroonis disse...

Os nomes não querem dizer nada... Pois não, e ainda mais para aqueles que têm a felicidade de poder escolher entre as coisas que eles nomeiam...

Um abraço!

Ivone Costa disse...

Também há uma Nossa Senhora das Coisas Impossíveis ... é mais literária, mas terá os mesmos dons. :)

José Ricardo Costa disse...

Nossa Senhora das Coisas Impossíveis é mais literária? Então só pode ser mesmo literatura portuguesa...

Pois, Kamaroonis, nomear o que não quer dizer nada é uma especialidade em forte expansão... Um abraço

Rita Tormenta disse...

Hesitei entre reagir, um bocado primariamente, ou deixar este post cair e voltar noutra altura.
Mas ele ainda aqui está...
Se as escolas tivessem nomes como condenações mais valia nem existirem.
Todos os dias falo de arte, poesia, imaginação, criatividade, a futuros "gandulos e jagunços na parte mais baixa da banheira social", muitos não falam português, alguns estão ali por causa das refeições, outros têm Mães que trabalham entre as 5 da manhã e as 11 da noite, estão entregues a irmãos, ou a si próprios.
Felizmente escola chama-se " Terra dos arcos" e não escola básica integrada KJ da Reboleira, quem lá está dentro sabe onde está mas sabe também que as janelas que se abrirem aos mais novos são oportunidades para quebrar ciclos, de exclusão, de miséria, de desvalorização pessoal, de tragédias demasiado grandes para corpos demasiado pequenos.
Acho que pela 1ª vez, desde que o leio, me zanguei com as suas palavras.
Os nomes são casas, e se uma escola é a casa de Sophia, é a Sophia e a sua menina do Mar que se convoca para ser uma janela que não aviste só o lado feio da vida!

José Ricardo Costa disse...

Rita, isto foi apenas uma pequena brincadeira com os tais nomes das escolas. Eu tenho todo o respeito por quem quer aprender e é bem educado, more onde morar e seja de que classe social for. Muitos deles, porém, são mesmo gandulos e jagunços. A pobreza não nos obriga a prescindir de certos valores e princípios. Há muita gente pobre a quem a sua condição social não roubou esses valores e princípios. Mas isso é outra conversa. Repito, este post não passou de uma brincadeira dominical.

José Manuel Vilhena disse...

"Escravas de Sophia"...é pá, ainda tive uma ideia para salvar isto mas não dá....misturas...e parece outra coisa...
;)

José Ricardo Costa disse...

Escravas de Sophia, LOL!