05 agosto, 2011

"WE WERE LIKE ROCK STARS. PEOPLE CLIMBED TREES TO SEE US"



Não percebo a estranheza deste pessoal. Tiveram os 15 minutos de fama e glória a que tinham direito. O que querem mais? Quando Andy Warhol disse aquilo, 15 minutos não parecia tempo nenhum. Hoje, num mundo actualizado hora a hora como um furioso rio que transborda, 15 minutos parece a eternidade. Dêem-se pois por satisfeitos. O tempo das Rock Stars não é o tempo dos Aquiles, dos Ulisses, dos Eneias, dos Orlandos. O tempo dos primeiros, tal como o tempo dos segundos, é um tempo sem tempo. Parece a mesma coisa mas são coisas completamente diferentes.

1 comentário:

josé manuel chorão disse...

Coitados, tiveram aquele azar na vida; agora pensavam que iam passar o resto da dita cuja a viver à custa desse azar, ir contar o que tinham passado ao "pograma" do Goucha ou da peixeira Pinheiro.
Afinal, a vida continua e o sistema em que vivemos está-se nas tintas para os desafortunados da sorte. Há que continuar a trabalhar.