23 março, 2011

SER CONSERVADOR É...

...ter mais pena de ver partir o Artur Agostinho do que um dos mais belos animais do mundo. É a chamada regionalização das emoções.

6 comentários:

estela disse...

3 posts seguidos sobre mulheres.
conservadores assim são uma delícia ;)

josé manuel chorão disse...

Mas a Elizabeth Taylor já há muito que tinha partido. Não foi hoje. Porque apenas existiu enquanto bela e a beleza há muito se fôra.
Mas o Artur Agostinho, esse não partiu. Ainda aí está, na nossa memória. Na nossa cultura.
A inteligência vale sempre mais que a efémera beleza.

Mar Arável disse...

De facto

Margarida disse...

Ah, as pessoas não se comparam assim (penso eu), e a definição não é sobre ela e sim sobre a Ava Gardner.
É o que dá demasiada Filosofia, professor...
;)

José Ricardo Costa disse...

Eu sei que a Ava Gardner é o mais belo animal do mundo. Eu só disse que era um dos mais belos animais do mundo. A escrava trácia, desta vez, falhou.

Seismilhoesum disse...

A José Manuel Chorão
Desculpe mas devemos criticar apenas aquilo que sabemos. A Elizabeth Taylor, para além de uma beleza (física) efémera, foi sempre uma pessoa bela. Sempre ligada às boas causas, sempre a apoiar amigos caídos em desgraça. Não é hora de "escolher" a maior das tragédias. DUAS pessoas boas deixaram-nos, a lembrar-nos que será este o nosso destino! Mas não devemos comparar o incomparável. Ambos vão fazer falta neste mundo cada vez mais vazio. E cada qual "escolhe" aquele que lhe faz mais falta. A mim, vão-me fazer falta os dois! Sem qualquer "regionalização" ! E já agora, a Elizabeth era algo (muito) mais que um "animal" no sentido que foi usado aquí!