21 março, 2011

A FÉ E OS LIMITES DA SIMPLES RAZÃO


De acordo com a "assimetria dos enunciados universais" de Karl Popper, nenhum número de observações, por muito elevado que seja, permite validar definitivamente um enunciado universal. Mas basta uma única observação negativa para o invalidar ou refutar.
Trocando agora isto por coisas verdadeiramente importantes: o facto de vermos dez, cem, mil, um milhão de mulheres imperfeitas, não significa que todas as mulheres sejam imperfeitas e que não exista a mulher ideal. O que não deixa de ser bastante animador. Mas basta ver uma única mulher imperfeita para se perceber que nem todas as mulheres são ideais.
Mas (o mundo, mais do que de adversidades, está cheio de adversativas), verdade seja dita, também o facto de se provar que nem todas as mulheres são ideais não invalida a possibilidade de existirem mulheres ideais. 
Conclusão: continua a ser a fé a mover montanhas e não a epistemologia.

18 comentários:

josé manuel chorão disse...

Love is in the air
Everywhere I look around...
(E isso é bom, muito bom, muito melhor que toda a Filosofia do mundo)

Fred disse...

Eu ainda não encontrei a minha mulher ideal! Um dia hei-de encontrar certamente, não posso é desanimar!


Um abraço!

C. disse...

Essa questão dos ideais...uhmmm.
Com fé ou sem ela, a questão é sempre a da queda... do ideal, claro (seja em relação ao que for). Não deve haver mulher alguma que goste de sentir que deixou de ser o ideal que nela viam (ou queriam ver) :-))

m.a.g. disse...

Nasrudin (um personagem de histórias de humor disseminadas pela tradição Sufi) conversava com um amigo:
– Então, Mullah, nunca pensaste em casamento?
– Muito. – respondeu Nasrudin – Na minha juventude, resolvi conhecer a mulher perfeita/ideal. Atravessei o deserto, estive em Damasco e conheci uma mulher espiritualizada e linda; mas ela não sabia nada das coisas do mundo. Continuei a viagem e fui a Isfahan; lá encontrei uma mulher que conhecia o reino da matéria e do espírito, mas não era bonita. Então resolvi ir até o Cairo, onde, finalmente, jantei na casa de uma mulher bonita e conhecedora da realidade material e até espiritual.
– E por que não casaste com ela?
– Ah, meu companheiro! Infelizmente ela também procurava um homem perfeito/ideal.
A Virna Lisi (na foto)? suponho.

joao alfaro disse...

Para mim as mulheres são todas perfeitas,no entanto, uma é mais perfeita que as outras todas, porque me enche a alma. Creio que todos os homens sofrem do mesmo mal, ou não fossemos nós uns imperfeitos seres.

José Ricardo Costa disse...

m.a.g., uma história bem deliciosa essa.
Não é a Virna Lisi mas também não anda muito longe: Monica Vitti.

Anónimo disse...

Para você, o que é o ideal, a perfeição?

estela disse...

sim, sim e sim!
e ... ninguém é perfeito: nem a epistemologia, nem as montanhas, nem a fé ;)

José Ricardo Costa disse...

Pois, não faço ideia. Quando vir uma logo lhe digo. Ou melhor, diria, se porventura soubesse com quem estou a conversar.

Carla Teixeira disse...

A perfeição está nos olhos de quem vê.

Anónimo disse...

A idealização opõe-se à realização.
Um dos mitos masculinos recorrentes na arte, D. Juan, encontrou o ideal na Morte.

Clau disse...

JR, a mulher ideal é uma seca. Assim como os homens ideais.

jrd disse...

Cherchez la femme...

Alice N. disse...

A idealização é como planta sem solo nem raízes, mas é também semente do sonho... A perfeição estará algures entre uma coisa e outra.

Anónimo disse...

pois... não me diga que anda à la recherche....e quem sabe se não serei eu uma mulher ideal??? Q tal um pouco de provocaçãozinha nisto tudo dos comentários???LOL

José Ricardo Costa disse...

O facto de eu escrever sobre a mulher ideal não significa que ande à procura de alguma. Tentei ser apenas um pouco espirituoso. Enfim, um pequeno divertissement num raro momento de ócio. A partir de agora tenho mais em que pensar.

Anónimo disse...

Obviamente, meu caro Watson. Outra coisa não seria de esperar de si... aliás, bem como de mim. Foi também com o mesmo espírito espirituoso,passe a redundância...esta boutad.
E a Vitti está sempre linda de morrer nos filmes do Antonionni; relembre-me: a foto será de O Deserto Vermelho... Apetece rever todos estes filmes.
Cumprimentos e no hard feelings.
Continua a ter posts dos mais elegantes e inteligentes cá da praça.

Sedentário disse...

"que me desculpem as feias,mas beleza é fundamental" assim escreveu Vinicius de Morães. O olho humano procura smpre a beleza nas coisas. Abraços!