21 fevereiro, 2011

PAIXÃO INÚTIL


Dizia Sartre que o homem é uma paixão inútil. Grande coisa! Como se houvesse alguma paixão que fosse útil, como se pudéssemos entender as paixões a partir do critério da utilidade.

19 comentários:

jrd disse...

O homem talvez. Mas o “benfiquista”, esse, é uma paixão útil, ou melhor utilitarista, porque espalha a felicidade e a emoção por muita gente sensível.

José Ricardo Costa disse...

Espalha a felicidade? Como é que pode estar feliz, ganhando apenas por 2-0 a uma equipa como o Sporting? O meu amigo JMC tinha previsto 3-0, e ele costuma acertar. Enfim, dia estragado.

estela disse...

vocês os dois......... escrevam algo cheio de paixão ou algo de útil ;)))

José Trincão Marques disse...

http://www.youtube.com/watch?v=Yy55gsqus6M&feature=related

José Ricardo Costa disse...

Estela, pobrezita, deixa lá, melhores dias hão-de vir. Em homenagem a ti hoje assino "Leão da Estela".

Zé, se o homem estivesse ainda a treinar o FCP seria mesmo caso para dizer que se tratava de uma paixão inútil.

estela disse...

olha, concordo com os teus dois parágrafos! :)))

m.a.g. disse...

Podem ser efémeras, mas enquanto duram são utéis e geradoras de valor e satisfação garantidos.
Mas uma coisa é certa, uma vitória do glorioso é de extrema utilidade, para os apaixonados, já se vê :)

José Ricardo Costa disse...

É muito interessante analisar o benfiquismo à luz do utilitarismo do Stuart Mill. Mas também se podia tornar numa questão deontológica: ser benfiquista como um dever. Porém, mais uma vez, é o utilitarismo que fica a ganhar: se transformássemos o ser do Benfica em lei universal, todos seriamos do Benfica e, nesse caso, o Benfica deixaria de ganhar jogos pois para ganhar jogos é preciso haver outras equipas, como é o caso do Sporting.

ANA disse...

Foi engraçado ver a felicidade infantil espelhada no rosto do meu marido a dar pulos de felicidade e a cantarolar:" amor hoje já não levas porrada..." Como faz sempre que o Benfica ganha e eu sei bem que uma vitória ao sporting lhe dá mais prazer... eu sou do Benfica porque em pequena vivi em Benfica e o meu pai levava-nos aos jogos do Glorioso e até nos comprava queijadas de sintra em troca do nosso Benfiquismo. Ora comigo esta espécie de reflexo de pavlov resultou, já o meu irmão comeu as queijadas e é sportinguista...Agora até o meu sogro é presidente de uma casa do benfica e é tão apaixonado que até já os netos são sócios do glorioso. E às vezes no meio de tanta paixão a mim apetece-me gritar que agora sou do Porto...

Fevereiro 22, 2011

Anónimo disse...

A utilidade é um dos valores mais efémeros da história.
A utliidade é o momento, é circunstancial.
A Paixão rasga o tempo, suspende-o, acelara-o, ignora a utilidade com um desprezo intencional.
A paixão útil é aquela que se assegura en comodidades mas não se narra nem espanta , nem apaixona. É funcional, conduz a um estado de harmonia, daqueles estados sorridentes perante o tamanho do novo LCD, ou pelas obrazitas na cozinha.
A outra coisa, é disfuncional, provoca desarrumação física, quem a sente deixa de habiatr a concha e tem que saber suportar-se no arame, o sorriso é um misto de ingenuidade e desafio.
Se a Paixão pode ser útil ? Pode mas não é Paixão.

Anónimo disse...

Deixem lá a paixão sossegada.
Porque Paixão é pouco, muito pouco, para classificar o Benfiquismo.
Religião? Ainda menos.
Ser Benfiquista é ser Humano, ser até mais que humano.
Ser do Benfica é um modo de ser, de estar na vida, tão natural como respirar.
É um modo de ver o futuro e de sentir alegria.
Ser Benfiquista é ter o sangue a correr nas veias e orgulhar-se disso.
Ser Benfiquista é ser membro da única comunidade humana de que vale a pena ser membro. Tudo o resto é desprezível.
O Benfica, em suma, é a vida e a Glória. É algo que só outro Benfiquista poderá compreender, algo que esses seres estranhos (adeptos de qualquer outro clube) nunca poderão partilhar ou sequer vislumbrar.
Quanto a Ganhar àquele clubecozito a que ontem ganhámos...ora, é algo habitual, não é nenhum feito especial, dá até uma certa pena ver um clube tão reles a arrastar-se pela lama.
josé manuel chorão

Anónimo disse...

Caro Zé Ricardo: adora uma boa "boutade", não é? Diga-me, esclareça-me, quais os critérios para aferirmos o interesse da/ pela paixão.... como dizia a canção " Ça sert à quoi l'amour?"...
Curiosidade, apenas.
Cumprimentos.
E.

Anónimo disse...

Caro Zé Ricardo: já falta pouco, o homem já está a descer para sul...aqui fica uma previsão do que o espera....
E.

http://diasdeumfotografo.blogspot.com/2011/02/cale.html

José Ricardo Costa disse...

Caro E.
Mas cá está! Não existem critérios. Nem tudo na vida tem que ter critérios. Para critérios, já me bastam, enquanto professor, os critérios de correcção e os critérios de avaliação. Eu não sou psicólogo nem sociólogo. Passo.
Cumprimentos,

JR

jrd disse...

Caro JR
Parece que subverti o seu poste.
Não se zangue, foi por uma boa causa.
Aliás, não tenho duvidas de que se Sartre fosse vivo, seria do Glorioso, porque os outros são o inferno...

jrd disse...

Estela,
Eu não devia retorquir mas...Quer saber o que é paixão?

http://bonstemposhein-jrd.blogspot.com/2010/04/benfica.html

Ainda esta a tempo de mudar. ;)

DESIGN TÊXTIL disse...

Nossa, não concordo!!!!!!!!!!!!!
Se o meu marido não tivesse a paixão pela culinária, nós bem que podíamos morrer de fome. É uma paixão para lá de útil...rs

Anónimo disse...

Bom... Creio que há alguns (muitos) para quem existem paixões úteis e paixões inúteis...
Ou não será assim?
jl

José Ricardo Costa disse...

jl, meu caro, a pergunta tem um teor futebolístico ou existencial? Se for futebolístico direi que a paixão não tem a cor da esperança.