27 fevereiro, 2011

"IN DARKNESS LET ME DWELL"

8 comentários:

jrd disse...

Estava-se bem na Idade Média e com a vantagem de não se ser roubado pela edp.
Não perca a esperança, porque o petróleo vai escassear em breve.

marteodora disse...

Bolas, pá! Até me doeu! Que fotografia! Das que eu gosto.

Ana Paula Sena disse...

Gostei imenso da foto, José Ricardo. De certo modo, fez-me lembrar uma pintura de Rothko.

Votos de uma boa semana.

Alice N. disse...

Esta foto é magnífica! Misteriosa e inquietante, leva-nos a questionar o que estará para lá do que os olhos vislumbram e o que representa aquela mancha incerta e distante (uma saída em direcção à luz ou um passo para o abismo?). Mas mais do que prender o olhar para o exterior, é forte o apelo para pensar no que não é mostrado e no que se passa do lado de dentro... São muitas as questões sobre o que está "dentro" e "fora" da foto. Uma obra de arte fascinante. Também me lembrei de Rothko, um pintor de que gosto muito. Merecia ser emoldurada. Parabéns!

(Não deve ser nada disso que a foto quer dizer, mas foi assim que a senti e essa liberdade é um dos grandes méritos da arte.)

Carla Teixeira disse...

A melhor definição de claustrofobia!

Micha disse...

Magnifica. Simples, clean, certeira. Parabens.

José Manuel Vilhena disse...

...e não podia ir ao sótão mais vezes?!!?
:)

marta disse...

O thus, my hapless joy, I haste to thee, I haste to thee.