05 janeiro, 2011

PANFLETO


Dostoievski quis escrever um simples panfleto didáctico contra o alcoolismo na Rússia. Começou a escrever, e saiu-lhe o Crime e Castigo, uma das grandes obras da literatura universal.
Eu cá sou mais o contrário. Gostaria de ser uma grande obra mas não passo de um simples panfleto.

3 comentários:

estela disse...

Etimologia

No século XII da nossa era, circulou na Inglaterra um breve poema de amor, anônimo, escrito em latim, com o nome de 'Pamphilus seu de amore' (Panfilo ou sobre o amor), que se tornou extremamente popular e foi traduzido para inglês como Phamphlet[2]. Até os fins do século XIV a palavra pamphlet era usada em inglês para designar qualquer texto de tamanho menor do que os enormes livros manuscritos daquela época, antes da invenção da imprensa. Nos séculos seguintes, o sentido do vocábulo evoluiu até significar um libelo difamatório, folheto escrito em estilo satírico ou violento, especialmente sobre assuntos políticos, entrando no português com estas acepções. Os puristas da língua preferem indicar em seu lugar a palavra 'folheto'.
(tirado da nossa querida wikipédia)

quem me dera a mim ter tido origem num verdadeiro poema de amor.

jrd disse...

(...)
Ouviste, lua?
Apaga-te!
- lâmpada dos cães e dos poetas magros.
(José Gomes Ferreira in: Panfleto contra a paisagem)

Continue a ser um panfleto, nem que para isso os ponteiros tenham de se mover.

jrd

josé manuel chorão disse...

E mais vale um Panfleto na mão que duas grandes obras a voar...
Agora a sério: tomaram muitas "grandes obras" alcançar a tua dimensão enquanto (auto-designado) Panfleto.
Continua, pois, a panfletar que a vida é disso feita (e não de grandes obras).