11 dezembro, 2010

O DIVÃ



Interessante esta entrevista com a última paciente viva de Freud a cujo consultório foi levada pelo pai quando ainda era uma criança.
No fim da consulta, ele disse: "Não se esqueça, para se ficar adulto, tem de se ousar perguntar porquê e como, e também apresentar opiniões próprias ou contestar. Se não se fizer isto, ficará sempre uma criança e serão sempre os outros a mandar em si."

Joana Vasconcelos transformou Portugal numa piscina. Percebo a ideia. Mas do que Portugal precisava mesmo era de ser transformado num divã.

6 comentários:

josé manuel chorão disse...

Talvez seja um pouco tarde para analisar Portugal. Os poucos portugueses que ainda pensam...já desistiram há muito desta caricatura de país.

jrd disse...

Mas, se são as crianças que perguntam porquê!?

Divãs!?... Portugal está aqui está a fazer análise de grupo com a Grécia e a Irlanda...

José Manuel Vilhena disse...

...bem,pacientes já somos.
:)
um abraço

Cláudio disse...

Sei lá... Viver o tempo todo sentando o pau no próprio país, não é uma forma de chauvinismo de cabeça para baixo? É um pouco como jactar: ninguém é pior do que nós! Somos a escória do universo! Deixemos de orgulhos paroquiais: Portugal é um paiseco como outro qualquer!

Atenciosamente,
Cláudio.

José Ricardo Costa disse...

Caro Cláudio, vendo bem acaba por ter razão. Dizer muito mal do próprio país é também uma forma de lhe dar uma excessiva importância. Acontece apenas que Portugal bem podia ser um pouco menos paíseco do que é... È isso que chateia.

JR

Lisa disse...

Olá professor :)
Gostei muito do post! Ando a ler um livro agora mesmo muito interessante que me lembra as aulas de Psicologia. Chama-se "The Interpretation of Murder" de Jeff Rubenfeld. É acerca da única viagem que Freud fez aos EUA em 1909, é uma história fícticia, mas fala da pesquisa dele, teorias e psicanálise.
Beijinho, Lisa Fernandes