13 novembro, 2010

TODAS AS NOITES DO MUNDO

Quando explico aos alunos que o tempo da história é, quase sempre, maior do que o tempo do discurso à excepção da cena dialogada, digo-lhes que isto não é uma verdade absoluta. E, se lhes encontro sensibilidade para isso, dou-lhes sempre o exemplo do "Capítolo Siete" da Rayuela de Cortázar, onde o tempo do discurso segue a par e passo o tempo da história.
No post que fiz sobre Chico Buarque, o homburg teve a gentileza de deixar um link com os Gotan Project e voz de Cortázar. Há coisas que foram feitas para se encontrarem.

Sem comentários: