07 novembro, 2010

O TEMPO NÃO É DE FERRO

Não uso relógio há muito tempo. Sou pontual, todavia. Guio-me pelo relógio do carro, pela agitação dos alunos quando a aula já vai nos 50 minutos. Vejo as horas no telemóvel como os adolescentes. Perguntam-me, às vezes: "Nunca usas relógio?" Digo que não, que relógio só um Patek Philipe. Como não tenho dinheiro para comprar um, prefiro-me assim de pulsos desnudados.
Hoje de manhã, porém, ao olhar para um anúncio na "Pública" fiquei a pensar que um Baume & Mercier também é um belo relógio.

8 comentários:

Margarida disse...

Adoro relógios. Desde que perdi o primeiro (oferta do meu pai) no balneário do liceu, fiquei com uma vontade doida de ter mais. Parte do primeiro salário foi para comprar um e depois, foram muitos. São demais, entre cores e feitios e modelos "a dar com" (luvas, écharpes, escarpins, chapéus, estados de espírito e outras minudências).
O curioso é que recentemente dou por mim a mil sem relógio algum.
E sim, também adoraria ter um 'desses'.
Mas eu era um Cartier que eu cá sei.
(também vejo as horas no telemóvel como a adolescente - do século passado - que serei sempre)

jrd disse...

Sem dúvida! O Baume & Mercier é um belo relógio, apesar desse espécime “modelo Miami”que é o canastrão do Andy Garcia.
Eu também prefiro o Patek. Aliás, hoje, Domingo, é dia de o exibir no pulso e deixar produto branco, made in Taiwan, na mesinha de cabeceira.
Chato mesmo, é que já está fresco para andar de manga curta…

Ivone Costa disse...

Sem comentários, jrd, sem comentários...

PR disse...

Subtil sugestão natalícia JR. Atenção! PR

Margarida Fernandes disse...

Eu preferir, preferia uma máquina de café Nespresso :-))))))

Beijinho Ivone.

Ivone Costa disse...

Também é um belo café, Margarida Fernandes.:-))))

m.a.g. disse...

Por aqui há dois dessa marca: um herdado, outro comprado.
Mas bom, bom era esse relógio no pulso de Anthony Hopkins ou de Edward Norton.

Ivone Costa disse...

Também era, m.a.g., também era.