28 novembro, 2010

«FALÁVAMOS BAIXO. OS TEUS BRAÇOS ESTAVAM CHEIOS DO MEU NOME NEGRO, E NUNCA MAIS ACABAVA DE NEVAR. ERA NOVEMBRO.»

6 comentários:

jrd disse...

«(...)Que ('havemos' de) fazer senão sonhar ao contrário quando Novembro...»

josé manuel chorão disse...

Falar baixo. Como quem sussurra segredos que com poucos se partilham. Intimidade, neve. Novembro, bom mês para começar (-se)

Anónimo disse...

Há palavras que ribombam como trovões... ainda que sussurradas!
jl

homburg disse...

'The month of the drowned dog', que dixo Ted Hughes de Novembro e, xa se sabe, cando o di o poeta xa non hai escapatoria. Ademais, tamén o confirma o xoglar (http://www.amazon.com/Dog-songe/dp/B0015825MC) no seu track 10.

Margaridaa disse...

Gosto muito do que emana destes dois posts, da forma, do conteúdo...

addiragram disse...

O frio chegará ao seu fim.

Um abraço.