28 outubro, 2010

ROMANCE EPISTOLAR

IV

Se sou hesitante
é porque a incerteza,
muitas vezes ouvida,
até aqui me conduziu.
Ninguém desfaz
o que não tem feito
e os teus gestos
habitam a morada longínqua,
a talha dourada das metáforas,
a espiral inconsequente das promessas.

Sem comentários: