22 outubro, 2010

ROMANCE EPISTOLAR

2

Não quero este labirinto
habitado pela tua voz fugaz,
nem sequer as asas
que prometes e nunca dás.
Não quero saber-me
preso na teia persistente
do teu rosto sempre adiado.
Quero o teu olhar
sem mais demoras,
quero a hora certa,
o local marcado.

Sem comentários: