20 outubro, 2010

ROMANCE EPISTOLAR

II

Falta-te o rosto
que não tenho,
falta-te o rosto onde se juntam,
uma a uma, todas as sombras
que não partiram.

Pára no centro da cidade
e olha em redor.
Eu estarei onde estiver
a tua persistência,
o quente desespero de onde me chamas.

Sem comentários: