26 setembro, 2010

CONTO DE FADAS - V

Quando a porta se abre
desliza o silêncio pelo chão,
calam-se nos degraus
as mil vozes dos recantos.

Como uma casa fechada
assim eu olho os dias:
uma promessa que espera
num quarto lá ao fundo
onde dorme a sombra
no veludo e na quietude.

2 comentários:

Lunna Guedes disse...

E o desenho que se forma nas minhas arestas é tudo que me resta. Suas linhas provocou silêncios em minhas arestas.

Anónimo disse...

Lindo, lindo, lindo. Demasiado belo. Demasiado porque comove e me deixa triste.