31 agosto, 2010

AB INITIO

É do chão que sobe
o rumor das estradas ao longe.

É a distância quente,
é a noite incompleta,
é o caule de Setembro
a emergir da terra.

7 comentários:

jrd disse...

Um ritual que se repete.
Belíssimo!

Margarida Fernandes disse...

Olá José,

Para ser sincera atribui o "prémio" ao vosso blog porque gosto muito de vir aqui mas por outro lado não acreditei muito que quisesse seguir com a "corrente".

Já em tempos atribui um prémio a "esta casa" e a sua resposta foi a mesma. Voltei a repetir porque o intuito destas nomeações é precisamente homenagear aqueles blog´s que gostamos de visitar e onde nos sentimos bem mas nunca esperei que fosse nomear seis blog´s. Respeito porque assim deve ser.

Muito obrigada por visitarem o meu cantinho. Voltem sempre que eu também.

Um abraço.

marteodora disse...

Um poema sobre o princípio do fim...
Belíssimo!

Anónimo disse...

Como diz o povo jovem por aqui: a senhora "mandou bem".

Ana Paula Sena disse...

Belo!

Alice N. disse...

Belíssimas palavras. Belíssimas imagens.

Rita TSBGC disse...

Se tivesse asma na alma, queria ter uma bomba com textos assim, para poder respirar!!!