23 junho, 2010

ANDRÉ KERTESZ, 1929

4 comentários:

jrd disse...

Uma foto notável.

Margarida disse...

A monção apanha a Europa desprevenida nestes dias que iniciam o estio.
Sempre fomos surpreendidos pelo inesperado, natural ou humano.
O passado plasma-se ao presente e deixa antever o futuro: cinzento aquoso, arrepio invernoso.
Somos, sobretudo, tristes.

José Manuel Vilhena disse...

Trocava um dia de praia e de verão para entrar uma só vez nesta fotografia.Depois saía.

marteodora disse...

Que foto fabulosa. Sente-se a humidade e o frio...e ouve-se o som da chuva!