13 março, 2010

DACTILOGRAFIA


Sofia Vasilievna, mãe de Shostakovich, era pianista, tendo acabado os estudos no Conservatório no ano em que casou. Anos mais tarde, ficando numa situação económica difícil por causa da morte do marido e pai do compositor, começou a trabalhar como dactilógrafa no Departamento Central de Pesos e Medidas.
Nada de dramático. Um piano e uma máquina de escrever são mais parecidos do que poderíamos supor: ambos têm teclas e exigem um movimento veloz e sincronizado dos dedos.
O destino de Sofia Vasilievna é o melhor símbolo do nosso sistema de ensino: alunos que entram como pianistas em potência e, 12 anos depois, saem de lá dactilógrafos.

3 comentários:

jrd disse...

E o pior é que até as máquinas de escrever já eram...

Anónimo disse...

Não.
O pior, é não terem a capacidade de encaixar uma derrota e continuar a lutar por um futuro. Sendo ele menos refulgente que o preconizado.

jrd disse...

Talvez.
Mas pior, é passar a vida a lutar pelo futuro dos outros.