05 fevereiro, 2010

UNE PETITE FOLIE



Eu uso um critério muito simples para poder saber qual a minha música preferida: pensar na que mais gostaria de ouvir cinco minutos antes de morrer. Nem sempre é a mesma. Mas há uma que entra de rompante na minha decisão com bastante frequência: Les Folies d'Espagne, de Marin Marais.
Há muitas e boas versões. Ontem, no entanto, descobri aquela cujo traço mnésico será capaz de vencer qualquer Alzheimer deste mundo.

7 comentários:

Shadow One disse...

Quando a ouves não ficas preocupado com o que acontecerá dali a cinco minutos?

José Ricardo Costa disse...

Não, quando a oiço esqueço-me de que sou mortal.

JR

Kamaroonis disse...

Compreendo bem o que sente... Certas músicas têm de facto um "poder" (falha-me um termo mais adequado) extraordinário.
Ouvi pela primeira vez esta música(uma variação sobre o tema, para ser mais preciso) há pouco tempo ao assistir ao "Tous les matins du monde", um filme que me abriu a porta a todo um universo musical que desconhecia.

Anónimo disse...

Lindíssima, sem dúvida. É engraçado,também eu já pensei muitas vezes nas músicas que gostaria de ouvir quando estivesse a morrer. Talvez seja uma forma de pensarmos que assim o nosso sofrimento será amenizado, porque algumas músicas funcionam certamente como um analgésico ( pelo menos para as dores da alma ).
MARIA

jrd disse...

O evidente bom gosto não se compadece com uns insuficientes cinco minutos, mesmo que sejam os últimos.
bfs
abraço

Anónimo disse...

Marais é sempre uma bela escolha.. :)

Eu cá espero ter muito tempo ainda para descobrir essa música,ainda há tanto que não conheço. Todavia, por ora, ficaria satisfeita com um qualquer bocadinho do "Requiem" de Fauré, "Non piangere Liú" (Turandot, Puccini),"Cara speme" (Giulio Cesar, Haendel)...Se me puser a pensar, acabo por ficar mais indecisa. Pelo menos, sou feliz sabendo que ouvi,ouço e, correndo tudo de feição, ouvirei grandes Obras, de grandes Mestres,por grandes Intérpretes

Beijinhos para si e para a Ivone, Filipa Luz (da prole do AHL)

José Ricardo Costa disse...

Cara Filipa, um beijinho também para ti. Sabes o que te digo? Que é pena não podermos morrer várias vezes...

JR