30 janeiro, 2010

SINAIS


John William Waterhouse, Boreas

Fui ontem a Lisboa de comboio. Em Vila Franca entra uma rapariga que se vai sentar à minha frente. Cerca de 20 anos, ar moderno e urbano. De repente, tira de um saco um par de agulhas e começa a tricotar um cachecol. E assim vai, a tricotar, a tricotar, a tricotar, até à estação do Oriente.
Dizia Heidegger, numa entrevista ao Spiegel, em 66, que já só um deus nos pode ainda salvar. Uma rapariga num percurso suburbano a tricotar um cachecol é, certamente, um sinal de deus.

5 comentários:

Fred disse...

É um pouco estranho, de facto. Quem diria que uma rapariga de 20 anos actualmente iria tricotar?
É mesmo caso para se dizer que as "iludências aparudem"...


Um abraço!

jrd disse...

Se não lesse aqui dificilmente acreditava. (anacronismos ;))

Reinaldo Amarante disse...

É preciso não perder a fé na Humanidade. Ainda bem que há jovens que (ainda)tricotam.

marteodora disse...

Embora não tenha propriamente 20 anos, tenho um pouco mais (um pouco, ok? LOL),nem seja propriamente campónia, tricotei muito aos 16 e aos 20. E, confesso que tal nunca foi incompatível com a urbanidade que vivi, em Lisboa e no Porto, respectivamente, em ambas as idades.
Camisolas e cachecóis, ah pois.
E mais, bordei, a ponto de cruz, as fraldas de pano do meu filho. E, digo mais, a Internet é a grande inimiga do tricot!
Eh,eh,eh...

Margaridaa disse...

Tricotar ou fazer qualquer outra coisa (desenhar, costurar, construir, planificar, fazer móveis,... ) com as suas mãos, é um prazer imenso. Quem o descobre, que o faz, sabe.(Feliz, essa rapariga , que o descobriu cedo.)