02 janeiro, 2010

LITANIA

Encosto o rosto
ao vidro da janela
e oiço a oração da chuva,
prata antiga, jóia perdida, perfume velho
talismã esquecido, livro fechado, luar inútil.

Espero a chegada da primeira palavra
na sua capa de veludo magenta,
exausta de tanto caminho percorrido.

2 comentários:

Margarida disse...

Ó Ivone... que lindo..., que lindo...
Tão plástico, tão visual, tão artístico...
Um Haiku feito filme.
Uma curta tornada longa.
Um canto feito pausadas palavras em agitados sentimentos...

Merci.

Ivone Costa disse...

Merci digo eu, Margarida.

Ivone