05 dezembro, 2009

WHAT HAVE I DONE TO DESERVE THIS?


Há coincidências engraçadas. Ando há que tempos com vontade de reler Alice no País das Maravilhas. Porém, ao passar hoje os olhos pelo jornal, acabo por concluir que não vale a pena. Basta viver em Portugal e pensar em situações como esta.
Um homem, na esquadra da PSP, puxa de uma caçadeira e dispara sobre um outro que fica tetraplégico e em estado de coma, estado, aliás, em que ainda se encontra actualmente. O culpado é condenado a 16 anos de prisão por homicídio na forma tentada. Ok, nada a dizer.
Porém, a mesma juíza que o condena a 16 de prisão por homicídio na forma tentada, declara que "não houve intenção de tirar a vida".
O culpado, por sua vez, depois de disparar sobre o homem que ficou tetraplégico e em estado de coma até hoje, revoltado com a sentença, declara: "Estou tranquilo. Não percebo nada disto, infelizmente. Esperava qualquer coisa… mas prisão não. A pena é muito pesada. Fiz algum mal a alguém?...".
O Chapeleiro Louco, a Rainha de Copas, a Duquesa ou a Lebre de Março, sentir-se-iam em Portugal como peixe dentro de uma toca, ups, perdão, como uma lagartixa nas nuvens.

3 comentários:

Anónimo disse...

"AIDS, pop, repressão.
O que é que eu fiz para merecer isso?"

RDP

José Trincão Marques disse...

Há qualquer coisa que não bate certo na notícia.

Para se verificar a tentativa de homicídio tem de existir intenção de matar.

Aliás, se o crime tivesse sido praticado por negligência, a pena máxima aplicável seria de cinco anos (artigo 137º, nº2 do Código Penal).

Curiosa é a afirmação: "Sou contra matar. Quando foi o referendo sobre o aborto, votei contra."

hg disse...

ó Ricardo, agora até pareceu-me o Gato de Cheshire! :))