17 novembro, 2009

FALA DE DIDO A ENEIAS

Se eu falasse,
havia de dizer-te
que o fogo nas tuas mãos
era o horizonte do fatum a arder.

Mas a tua ausência
procura-me nos corredores do palácio,
entra na sala,
onde já não te espero,
deixa, à minha volta,
taças e túnicas e uma última espada,
os despojos do silêncio.

3 comentários:

Alice N. disse...

Maravilhoso!

marteodora disse...

Confesso que já sentia falta disto.
Maravilhosas palavras, Ivone!

Arisca disse...

Parabéns!
Realmente bonito!