24 outubro, 2009

O PRIMEIRO OUTONO

Foi numa noite assim
que Ceres se esqueceu da Terra.

Por debaixo das raízes e dos rios,
Proserpina deitou-se no leito de sombras.
Ainda seda, ainda memória, ainda luz,
viu os bagos de romã
caídos em redor de Plutão
que lhe estendia
numa mão o esquecimento,
noutra a eternidade.

2 comentários:

jl disse...

Belo.
Gostei muito.

Queremos mais.

jl

José Borges disse...

Bolas, já andava com vontade de perguntar por si Ivone, mas estou a ver que há esperas que valem bem a pena.